Para um amigo que parte

Não, meu coração não é maior que o mundo.
É muito menor.
Nele não cabem nem as minhas dores.
Por isso gosto tanto de me contar.
Por isso me dispo,
por isso me grito,
por isso freqüento os jornais, me exponho cruamente nas livrarias:
preciso de todos.

Sim, meu coração é muito pequeno.
Só agora vejo que nele não cabem os homens.
Os homens estão cá fora, estão na rua.
A rua é enorme. Maior, muito maior do que eu esperava.
Mas também a rua não cabe todos os homens.
A rua é menor que o mundo.
O mundo é grande.

Tu sabes como é grande o mundo.
Conheces os navios que levam petróleo e livros, carne e algodão.
Viste as diferentes cores dos homens,
as diferentes dores dos homens,
sabes como é difícil sofrer tudo isso, amontoar tudo isso
num só peito de homem... sem que ele estale.

(...)

Carlos Drummond de Andrade



Meu caro Joãozito, as dores dos homens são muitas e sempre vamos embora para doerem menos. Sucesso em sua nova vida, meu amigo!

1 comentários:

perdido no escuro disse...

Obrigado amigo!
Em breve nos cruzaremos de novo...

Abraço

J

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails